Publicado por: geama | 12/04/2011

Nos Passos de Eurípedes VI

Quando tinha cerca de treze anos (por volta de 1891), Eurípedes co-fundou, com grande entusiasmo, o Grêmio Dramático Sacramentano, junto com o Dr. Pedro Salazar Moscoso, o Sr. Leão Coelho de Almeida e seu colega, o jovem José Martins Borges.

Devido à perfeição de suas apresentações artísticas, o grêmio ganhou fama além das fronteiras da cidade. Entre as peças encenadas com muito bom gosto estão: “Jerusalém Libertada” de Torquato Tasso e “Restauração de Portugal” de autor desconhecido. Na primeira, Eurípedes era o protagonista, o jovem cristão que converte uma jovem árabe nos tempos das Cruzadas. As peças que encenava pareciam prever o caminho de amor que seria seguido por Eurípedes durante toda sua encarnação.

Eurípedes se dedicou aos trabalhos artísticos durante muito tempo e eles o motivavam sempre mais. Mesmo sem querer, era sempre escolhido para protagonizar as peças do grêmio. Contudo, nunca foi visto o menino tentando projetar-se entre os colegas. Via com profunda responsabilidade as suas tarefas no grupo. Sempre que obtinha sucesso em determinada tarefa, buscava a melhora na seguinte, levando-o, muitas vezes, a verdadeiros sacrifícios.

O jovem repelia elogios. Considerava-os venenos poluidores da personalidade humana. Percebiam-no constrangido sob os agrados que recebia.

Ainda adolescente, Eurípedes buscava perfeição em tudo que fazia. Preocupava-se com a palavra bem colocada, a dicção correta e dispensava tratamento educadíssimo a todos, sem distinção.

Em casa, era querido pelos irmãos. Ajudava-os, sempre que possível, nas tarefas diárias do lar. Transmitia grandes lições de higiene e saúde aos seus irmãos e pais. Quando sua mãe era acometida por crises, Eurípedes e seu pai revezavam o posto aos pés do leito, ao lado de Dona Meca, como enfermeiros abnegados.

Depois de se formar no Colégio Miranda e ter sua idéia de formar-se em Medicina no Rio de Janeiro apagada da mente, Eurípedes debruçou-se ainda mais sobre bons livros. Era um verdadeiro exemplo de autodidata, o que o permitiu alcançar planos avançados no campo do magistério, do jornalismo, da tribuna e das artes.

[escrito com base no livro EURÍPEDES: O HOMEM E A MISSÃO de Corina Novelino, ex-aluna de Eurípedes]


Responses

  1. É sempre muito bom saber um pouco da vida desses grandes Espíritos para que a gente se inspire e nos dê vontade de viver melhor.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: