Publicado por: geama | 16/04/2010

Espírita, mas não Espírita: O Guardador de Rebanhos V

Uma das grandes belezas de ser espírita é poder ver o mundo de uma forma diferente. Entender as coisas de uma maneira diferente. Ver beleza em tudo, ver Deus em tudo. Quando somos espíritas conseguimos ver o espiritismo em tudo, porque, afinal, ele está em tudo.

Nessa coluna eu vou trazer textos de autores não espíritas, mas que são espíritas sem nem o autor saber e que passam lindas mensagens.

A de hoje é de Alberto Caeiro, um dos heterônimos de Fernando Pessoa. É da coleção d’O Guardador de Rebanhos texto número V. Esse poema nos mostra que às vezes perdemos tempo de mais pensando e tentando descobrir coisas que ainda não nos foi concedido o direito de saber e, fazendo isso, esquecemos de olhar ao nosso redor e ver as coisas lindas que já conhecemos e o que podemos fazer para nos melhorar a partir delas.

Que as palavras de Alberto Caeiro possam tocar vocês:

V

Há metafísica bastante em não pensar em nada.

O que penso eu do mundo?
Sei lá o que penso do mundo!
Se eu adoecesse pensaria nisso.

Que idéia tenho eu das cousas?
Que opinião tenho sobre as causas e os efeitos?
Que tenho eu meditado sobre Deus e a alma
E sobre a criação do Mundo?

Não sei.  Para mim pensar nisso é fechar os olhos
E não pensar. É correr as cortinas
Da minha janela (mas ela não tem cortinas).

O mistério das cousas?  Sei lá o que é mistério!
O único mistério é haver quem pense no mistério.
Quem está ao sol e fecha os olhos,
Começa a não saber o que é o sol
E a pensar muitas cousas cheias de calor.
Mas abre os olhos e vê o sol,
E já não pode pensar em nada,
Porque a luz do sol vale mais que os pensamentos
De todos os filósofos e de todos os poetas.
A luz do sol não sabe o que faz
E por isso não erra e é comum e boa.

Metafísica?  Que metafísica têm aquelas árvores?
A de serem verdes e copadas e de terem ramos
E a de dar fruto na sua hora, o que não nos faz pensar,
A nós, que não sabemos dar por elas.
Mas que melhor metafísica que a delas,
Que é a de não saber para que vivem
Nem saber que o não sabem?

“Constituição íntima das cousas”…
“Sentido íntimo do Universo”…
Tudo isto é falso, tudo isto não quer dizer nada.
É incrível que se possa pensar em cousas dessas.
É como pensar em razões e fins
Quando o começo da manhã está raiando, e pelos lados das árvores
Um vago ouro lustroso vai perdendo a escuridão.

Pensar no sentido íntimo das cousas
É acrescentado, como pensar na saúde
Ou levar um copo à água das fontes.

O único sentido íntimo das cousas
É elas não terem sentido íntimo nenhum.
Não acredito em Deus porque nunca o vi.
Se ele quisesse que eu acreditasse nele,
Sem dúvida que viria falar comigo
E entraria pela minha porta dentro
Dizendo-me, Aqui estou!

(Isto é talvez ridículo aos ouvidos
De quem, por não saber o que é olhar para as cousas,
Não compreende quem fala delas
Com o modo de falar que reparar para elas ensina.)

Mas se Deus é as flores e as árvores
E os montes e sol e o luar,
Então acredito nele,
Então acredito nele a toda a hora,
E a minha vida é toda uma oração e uma missa,
E uma comunhão com os olhos e pelos ouvidos.

Mas se Deus é as árvores e as flores
E os montes e o luar e o sol,
Para que lhe chamo eu Deus?
Chamo-lhe flores e árvores e montes e sol e luar;
Porque, se ele se fez, para eu o ver,
Sol e luar e flores e árvores e montes,
Se ele me aparece como sendo árvores e montes
E luar e sol e flores,
É que ele quer que eu o conheça
Como árvores e montes e flores e luar e sol.

E por isso eu obedeço-lhe,
(Que mais sei eu de Deus que Deus de si próprio?).
Obedeço-lhe a viver, espontaneamente,
Como quem abre os olhos e vê,
E chamo-lhe luar e sol e flores e árvores e montes,
E amo-o sem pensar nele,
E penso-o vendo e ouvindo,
E ando com ele a toda a hora.

Que possamos estar sempre em sintonia com Deus para ver as coisas maravilhosas que Ele nos apresenta e, assim, andar “com ele a toda hora”.

Carol Barra
Equipe do Blog


Responses

  1. Barrinhaaaaaaaaaaaa… mto bomm msm!!!! gostei pakas beim q vc disse…

    Mas se Deus é as flores e as árvores
    E os montes e sol e o luar,
    Então acredito nele,
    Então acredito nele a toda a hora,
    E a minha vida é toda uma oração e uma missa,
    E uma comunhão com os olhos e pelos ouvidos.

    vou copiarr! D

    bjussss

  2. Muito legal …. e inspirador ao mesmo tempo. O que ser espírita ? É seguir a doutrina dos espíritos ? Ou será que o fato de não acreditar em reencarnação serei não espírita ? Espírita é ser bomzinho o tempo todo ? Ou ser não espírita é estar sempre comentendo “enganos” e “erros” ? O fato de não acreditar em Deus, de seu ateu ou agnóstico, me faz ser não espírita ? Afinal o é que ser “não espírita” ? Não somos todos espíritos ?

  3. Excelente reflexão essa, Carol! Show de bola! Parabéns pela iniciativa!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: